Anistia Internacional cobra laudos das mortes no Cabula

Por Thaís Borges, Correio 24 horas

A ONG Anistia Internacional (AI) criticou o fato de ainda não ter tido acesso aos laudos cadavéricos das 12 vítimas mortas em operação da Rondesp no Cabula, no dia 6 de fevereiro. Na quinta-feira (2), o CORREIO mostrou, com exclusividade, que os laudos cadavéricos apontam indícios de execução.

Foto: Arisson Marinho/Correio*

Em nota, a ONG afirmou que o governador Rui Costa vem “negando de forma reiterada” os pedidos da própria Anistia, da Campanha Reaja ou Será Morto e de órgãos como a Ordem dos Advogados do Brasil – (OAB-BA) para tomar conhecimento dos laudos e da investigação.

A nota ainda aponta que “as informações divulgadas pelo jornal são de fundamental importância para a sociedade” e reforçam os relatos de moradores. “Os indícios apontados pela reportagem mostram a gravidade e urgência de resolução do caso Cabula. É preciso aprofundar o diálogo com a sociedade civil e os moradores para que este não se torne mais um exemplo de impunidade”, declarou Átila Roque, diretor executivo da AI.

A ONG reforçou o apelo pelo afastamento dos PMs e pela proteção das testemunhas. A PM informou que os PMs envolvidos na operação continuam trabalhando em “expediente operacional” e seguem com acompanhamento psicológico. Já o governo do estado não se posicionou.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s