Pesquisa inédita revela que crianças e adolescentes se sentem inseguros em São Paulo

Por Airton Goes, da Rede Nossa São Paulo

Dados da pesquisa IRBEM Criança e Adolescente, divulgados nesta quinta-feira (23/7), mostram que 61% do segmento têm medo de “assalto e roubo”.

Entre 13 áreas relacionadas à qualidade de vida em São Paulo, a “segurança e proteção” é a pior avaliada (nota média de 5,1) por crianças e adolescentes.  O dado integra os resultados da pesquisa IRBEM Criança e Adolescente, divulgados ontem (23/7). A pesquisa de percepção, que entrevistou 805 crianças e adolescentes, de 10 a 17 anos, é uma iniciativa do Grupo de Trabalho (GT) Criança e Adolescente da Rede Nossa São Paulo, em parceria com o IBOPE Inteligência – que realizou o levantamento – e conta com o apoio do Instituto Alana e do Instituto C&A.

IRBEM Criança e Adolescente

O IRBEM Criança e Adolescente revela também que 61% dos entrevistados têm medo de “assalto e roubo”. Podendo citar até três opções, as crianças e adolescentes incluíram a “violência em geral”, com 56% das citações, e “tráfico de drogas”, com 33%, entre as principais motivações para a insegurança que sentem.

Medo de “sair à noite”, com 21%, e da “polícia”, com 20%, integram o rol dos itens mais citados pelo segmento.

O receio dos pesquisados em relação à “polícia” aparece em outro dado do levantamento. Ao avaliar “o modo como as pessoas são tratadas pelos policiais”, as crianças e adolescentes entrevistados atribuíram nota média de 4,3, a pior na área de “segurança e proteção”.

No grupo das áreas que receberam as menores notas da pesquisa estão “aparência e estética” da cidade e “meio ambiente” (ambas com média de 5,3).

As maiores notas foram atribuídas às áreas “acesso à Internet” (7,9), “educação” (7,3) e “relações humanas” (7,1).

A nota média da pesquisa em relação às 13 áreas pesquisas ficou em 6,2.

Confira aqui os dados da pesquisa IRBEM Criança e Adolescente

Evento de lançamento da pesquisa

Os dados da pesquisa foram apresentados durante o evento público de lançamento da pesquisa, realizado no Sesc Consolação.

Na abertura da atividade, o coordenador executivo da Rede Nossa São Paulo, Maurício Broinizi, avaliou que o levantamento de percepção de crianças e adolescentes paulistanos “é inédito e surpreendente”.

Ele disse esperar que a pesquisa contribua para ampliar na sociedade a reflexão sobre a proposta de redução da maioridade penal, que considera um equívoco. “Precisamos que nossos representantes ouçam a população e os jovens, antes de tomarem medidas equivocadas”, criticou.

Ao apresentar os principais dados do levantamento, a CEO do IBOPE Inteligência, Marcia Cavallari, reafirmou: “É a primeira vez que estamos fazendo uma pesquisa na cidade sobre a percepção do público infanto-juvenil”.

Segundo ela, o levantamento revela como a criança ou o jovem vê ou percebe a cidade. “Esperamos que os dados contribuam com políticas e ações para a melhoria da qualidade de vida em São Paulo”, afirmou.

Raniere Pontes, coordenador do Grupo de Trabalho (GT) Criança e Adolescente da Rede Nossa São Paulo, lembrou que “a realização da pesquisa é um sonho de mais de dois anos e uma contribuição para a cidade”.

Os resultados do levantamento, na avaliação de Pontes, mostram que a criança e o adolescente não se sentem protegidos e seguros na cidade.  “Convidamos a todos para que utilizem os dados, da forma mais ampla possível, para que a realidade mude.” Ele concluiu sua fala com uma defesa enfática: “Não à redução da maioridade penal!”.

Já Isabella Henriques, do Instituto Alana, destacou que “nada melhor do que saber da própria criança e do adolescente como eles avaliam a cidade”.

O evento contou com a participação do grupo Matéria Rima, que contou o Hino Nacional Brasileiro em ritmo de Hip Hop, além de outras atividades culturais, como a exibição do vídeo “O que é ser jovem”.

Após a apresentação dos dados da pesquisa, foi realizada uma roda de conversa, em jovens puderam apresentar suas opiniões sobre o levantamento e fazer questionamentos ao secretário municipal dos Direitos Humanos e Cidadania, Eduardo Suplicy, e a primeira-dama de São Paulo, Ana Estela Haddad.

Os dois representantes da Prefeitura responderam as perguntas e se posicionaram contra a redução da maioridade penal.

Sobre a pesquisa IRBEM Criança e Adolescente

Desde 2010, a Rede Nossa São Paulo tem divulgado anualmente o IRBEM (Indicadores de Referência de Bem-Estar no Município), com dados atualizados de percepção dos paulistanos sobre a qualidade de vida na cidade. Nesta pesquisa, porém, pela primeira vez foram entrevistadas apenas crianças e adolescentes, de 10 a 17 anos. As perguntas da pesquisa abordam temas do cotidiano do segmento, como escola e amigos, até conhecimento e avaliação das instituições, como Prefeitura e Câmara Municipal.

A pesquisa é uma iniciativa do Grupo de Trabalho (GT) Criança e Adolescente da Rede Nossa São Paulo em parceria com o IBOPE Inteligência, responsável pelo levantamento, e apoio do Instituto Alana e do Instituto C&A.

As 805 entrevistas foram realizadas entre 13 e 30 de junho de 2015, em todas as regiões da cidade. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Leia também: Crianças e adolescentes estão descontentes com preservação de rios, lagos e represas

Repercussão na Mídia

Pesquisa revela como crianças e adolescentes de 10 e 17 anos enxergam a cidade

Violência é a principal preocupação de crianças e adolescentes, diz pesquisa

Jornal da Cultura Primeira Edição | 23/07/2015 (primeiro destaque e matéria ao vivo a partir do 3º minuto)

Metade das crianças e adolescentes de SP diz que mudaria de cidade

Violência em SP assusta 56% das crianças e adolescentes, diz pesquisa

Metade dos jovens de São Paulo gostaria de viver em outra cidade

Pesquisa revela que 20% das crianças e adolescentes paulistanos têm medo da polícia

Violência assusta 56% das crianças e adolescentes paulistanos

Violência na capital paulista assusta mais da metade das crianças e adolescentes

Metade dos jovens de São Paulo gostaria de viver em outra cidade

São Paulo é insegura para 67% de crianças e adolescentes, mostra pesquisa

Pesquisa revela percepção de crianças e adolescentes sobre qualidade de vida em SP

Esperamos que crianças e adolescentes sejam cidadãos mais ativos

Pesquisa mostra que jovens de SP estão mais preocupados com o meio ambiente do que têm medo de assalto

Pesquisa com crianças e adolescentes de SP mostra como eles percebem a realidade

Pesquisa revela a percepção de crianças e adolescentes sobre qualidade de vida em SP

Pesquisa mostra como as crianças da capital se sentem em relação à segurança

61% dos jovens tem medo de assalto e roubo em SP

São Paulo é insegura para 67% de crianças e adolescentes

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s