Anistia Internacional estreia mostra multimídia sobre segurança pública e violência contra a juventude em SP

Via Anistia Internacional

O espaço Matilha Cultural em São Paulo será a segunda casa da Anistia Internacional no Brasil durante os meses de setembro e outubro. A organização, que tem sede no Rio de Janeiro, ocupará a Matilha Cultural, no centro da capital paulista, com a mostra “Setembro Verde: Jovem Negro Vivo” a partir do dia 22 de setembro até 22 de outubro. Com exposição visual, ciclo de debates e programação de cinema, a iniciativa gratuita vai promover a campanha na maior cidade do país para romper com a indiferença da sociedade a respeito dos altos índices de homicídios, em especial entre os jovens negros.

Anistia Internacional - Campanha Jovem Negro Vivo

De acordo com o Mapa da Violência 2012, dos 56 mil assassinatos registrados no país, 30 mil são de jovens entre 15 e 29 anos. Destes, 77% são negros. Para aprofundar o debate, a Anistia Internacional lançou no início de agosto uma pesquisa sobre a homicídios cometidos pela Polícia Militar, em especial no Rio de Janeiro. Nos últimos cinco anos, homicídios decorrentes de intervenção policial corresponderam em média a 16% do total de assassinatos na capital fluminense.

A mobilização pela campanha Jovem Negro Vivo em São Paulo acontece em meio às investigações sobre o envolvimento de policiais militares na chacina que vitimou 19 pessoas em Osasco no mês passado, e em um contexto de aumento das mortes praticadas por policiais no Estado. De acordo com dados da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, o número de pessoas mortas por policiais em serviço no estado aumentou 105% entre 2013 e 2014, saltando de 346 para 708 óbitos. Somente no primeiro semestre de 2015, foram 358 pessoas mortas pela polícia, um aumento de 9,8% comparado ao mesmo período de 2014.

“A crença de que vivemos uma ‘guerra às drogas’ e que matar ‘traficantes’ faz parte desse combate tem sido usada como justificativa para uma polícia que faz uso excessivo, desnecessário e arbitrário da força, com frequência inaceitável da força letal. Nessa dinâmica, o grupo social mais atingido é o de jovens negros moradores de favelas e periferias”, alerta Atila Roque, Diretor Executivo da Anistia Internacional. “A política de segurança pública não deve ser incompatível com o respeito à vida”.

Entre os parceiros da ocupação Jovem Negro Vivo na Matilha Cultural estão organizações e movimentos que atuam na agenda de segurança pública e juventude como Mães de Maio, Ação Educativa, Conectas, Instituto Sou da Paz e Justiça Global.

Programação

22 de setembro – Abertura
16h – Visita guiada exclusiva para jornalistas. Bate-papo com Renata Neder, assessora de direitos humanos da Anistia Internacional, sobre a campanha Jovem Negro Vivo e o relatório “Você Matou Meu Filho: Homicídios cometidos pela Polícia Militar na cidade do Rio de Janeiro”.
17 a 19h – Sessões do filme “Sabotage”.
19h30 – Bate-papo sobre a Campanha Jovem Negro Vivo, da Anistia Internacional com Renata Neder e o rapper GOG
21h – Lançamento do videoclipe e vinil “Heroínas e Heróis”- Projetonave e GOG.

23 de setembro
19h – Happy Hour Matilha com DJ King.

24 de setembro
19h -Happy Hour Matilha Notas reais
19h – Exibição do filme “Sem pena”
21h – Exibição do Filme “O Estopim”

25 de Setembro
19h – Exibição do filme “Sem pena”
21h – Exibição do Filme “O Estopim”

26 de setembro
16h – Exibição do filme “Sem pena”
20h – Exibição do Filme “O Estopim”

27 de Setembro
20h – Exibição do Filme “O Estopim”

29 de Setembro
19h30 -22h: Debate: Homicídios Decorrentes de Intervenção Policial no Brasil
Coordenação: Anistia Internacional
Convidados: Atila Roque, Anistia Internacional; Debora Maria, Movimento Mães de Maio; Daniela Skromov de Albuquerque, Defensoria Pública de São Paulo.

30 de setembro
19h – Happy Hour Matilha com DJ KL Jay

1 de outubro
20h – Exibição do Filme “O Estopim”

2 de outubro
20h – Exibição do filme “À queima roupa”

3 de outubro
16h Exibição do filme “O Estopim”
18h Exibição do filme “Sem Pena”
20h Exibição do filme “A Queima Roupa”

4 de outubro
20h Exibição do filme “A Queima Roupa”

6 de outubro
19h30-22h – Debate: Política de Drogas e Criminalização da Juventude
Coordenação: Conectas (convidados a confirmar)

7 de outubro
19h- – Happy Hour Matilha com DJ King

8 de outubro
19h – Happy Hour Matilha Notas reais

10 de outubro
16h – Exibição do filme “Sem Pena”
18h – Exibição do filme “À Queima Roupa”

11 de outubro
20h – Exibição do filme “O Estopim”

13 de outubro
19h30-22h: Debate: Controle de Armas e Violência
Coordenação: Instituto Sou da Paz (convidados a confirmar)

14 de outubro
19h – Happy Hour Matilha DJ KL Jay

20 de outubro
19h30-22h: Debate : Desmilitarização da Segurança Pública
Coordenação: Justiça Global (convidados a confirmar)

21 de outubro
19h – Happy Hour Matilha Dj King

22 de outubro
19h – Happy Hour Matilha Notas reais

Ficha técnica da programação de cinema:

• O Estopim / 84’ / Diretor: Rodrigo Mac Niven/ Tipo: documentário

O pedreiro Amarildo de Souza desapareceu na Rocinha, Zona Sul do Rio de Janeiro, no dia 14 de julho de 2013. Segundo inquérito, o homem morreu depois de passar por uma sessão de tortura. A coragem da família e de amigos de Amarildo se transformou em símbolo de resistência e luta da sociedade civil contra a violência do Estado. Misturando cenas com atores e depoimentos reais, o filme não quer só investigar o que aconteceu, mas sim debater a conduta policial nas favelas e a questão da segurança pública do país.

• À Queima Roupa / 90’/ Diretora: Theresa Jeussouroun / Tipo: documentário. Não recomendado para menores de 16 anos.

Partindo da Chacina de Vigário Geral de 1993, o documentário investiga a violência e a corrupção policial praticadas no Rio de Janeiro nos últimos 20 anos. Uma dura apresentação dos fatos brutais mais marcantes por meio de entrevistas com vítimas e familiares, imagens de arquivo e cenas ficcionais reconstruindo a memória dos sobreviventes.

• Sem Pena/ 87’ / Diretor: Eugenio Puppo / Tipo: documentário. Não recomendado para menores de 12 anos.

Documentário sobre o sistema jurídico e prisional brasileiro. A precária vida nas prisões do país e os medos, preconceitos e equívocos que assombram o tema. A população carcerária brasileira é uma das maiores do mundo e só aumenta.

Sobre o videoclipe e vinil Heroínas e Heróis – Projetonave

“Da união dos escritos de GOG e Nelson Maca e com roupagem musical do Projetonave nasce “Heroínas e Heróis”. A música compõe o novo disco do Poeta do Rap Nacional e também faz parte do coletânea “7” Nasbase ” do Projetonave. No dia 22 de setembro, será lançado o vinil e o videoclipe da música dentro da mostra Jovem Negro Vivo na Matilha Cultural. A captação visual – vídeo clip – dessas emoções, retratando a ebulição na Diáspora Africana transforma escritos em manuscritos e roupagem em tecido humano. Sim! Estamos vivos, rebelados. O chamamento é público”- texto: GOG

ATUE AGORA

As execuções extrajudiciais em operações da Polícia Militar ainda são frequentes. Os casos raramente são investigados. Assine a petição pelo fim deste ciclo de violência.

Assine o manifesto: Queremos ver os jovens vivos!

Saiba mais

Campanha Jovem Negro Vivo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s